Sobre paulobretas

Paulo Bretas Vilarinho Junior possui graduação em Psicologia (1992), Mestrado (2004) e Doutorado (2013) em Educação pela Universidade Federal Fluminense. Atualmente é Psicólogo da Prefeitura Municipal de Duque de Caxias, Docente da Faculdade de Educação Tecnológica do Estado do Rio de Janeiro (FAETERJ) Duque de Caxias, onde é Presidente da Comissão Própria de Avaliação (CPA) e docente do Curso de Especialização em Administração Pública (CEAP), da Escola de Gestão e Políticas Públicas (EGPP), da Fundação Centro Estadual de Estatísticas, Pesquisas e Formação de Servidores Públicos do Rio de Janeiro (CEPERJ). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Profissional e Superior, atuando principalmente nos seguintes temas: Docência; Direção e Coordenação Pedagógica; Educação Profissional; Planejamento e Avaliação Educacional; Psicologia Escolar e Educacional; Psicologia do Trabalho e Organizacional, Treinamento, Avaliação e Elaboração de Projetos; Psicologia Clínica.

Haroldo Lima: Rechaçar toda e qualquer “intervenção militar” – Portal Vermelho

“Intervenção militar” foi o tema trazido ao noticiário nacional nos últimos dias por um intelectual progressista, que admitiu esse procedimento como meio para vencer a crise, e por um general que disse estar em estudo uma tal “intervenção”. Por Haroldo Lima*

Fonte: Haroldo Lima: Rechaçar toda e qualquer “intervenção militar” – Portal Vermelho

Anúncios

Estudo mostra que empresários não são melhores gestores públicos – Portal Vermelho

Estudo da London School of Economics (LSE) – uma das mais renomadas universidades do Reino Unido – contesta a tese de que empresários são melhores administradores públicos.

Fonte: Estudo mostra que empresários não são melhores gestores públicos – Portal Vermelho

A censura velada da Escola Sem Partido – Portal Vermelho

O avanço do programa Escola Sem Partido tem causado preocupação aos educadores e especialistas da área ao censurar professores e conteúdos ministrados em sala de aula, inclusive juridicamente. Diante de tal contexto – de caráter conservador – é importante relembrar a importância da teoria do educador Paulo Freire e, principalmente, de como esse projeto representa um retrocesso não apenas para as escolas, mas também para a sociedade. Por Verônica Lugarini*

Fonte: A censura velada da Escola Sem Partido – Portal Vermelho

O coxinha envergonhado

blog da Revista Espaço Acadêmico

MARCELO GRUMAN*

Há pouco tempo, Miguel chegou em casa com uma informação relevante: até segunda ordem, a escola pública municipal onde estuda deixaria de entregar material de estudo em folhas fotocopiadas devido ao contingenciamento orçamentário. Por orientação da secretaria municipal de educação, cada escola teria um número pré-definido de fotocópias e, por conta disso, os deveres de casa passariam a ser transcritos do quadro negro para o caderno, demandando dos alunos paciência e capricho na escrita. No dia seguinte, fui à escola e perguntei ao coordenador se a escola aceitaria a contribuição de uma resma de papel A4. A proposta foi muito bem recebida e devidamente cumprida. No próprio dia da entrega da resma de papel, a professora do Miguel, ao me ver numa das salas da escola, onde dava oficina de futebol de botão para os endiabrados colegas do terceiro ano, alguns deles bastante promissores com a palheta…

Ver o post original 1.083 mais palavras

Quem defende pauta do Escola sem Partido pensa que tem filhos idiotas

blog da Revista Espaço Acadêmico

RICARDO LÍSIAS*

 

SÃO PAULO – SP – COTIDIANO -Secundaristas são retirados a força pela tropa do braço da policia militar do Centro Paula Souza, que estava ocupado em protesto pelo bandeijão nas Etesps. – 06/05/2016 – Foto Marlene Bergamo/Folhapress – 017

Até o domingo passado, eu não tinha dado atenção ao tal movimento Escola sem Partido. A reivindicação é tão rasa e absurda que não me parecia merecer mais que um muxoxo desinteressado. Eu reagiria dessa mesma forma ao artigo de Gustavo Ioschpe, se o começo do segundo parágrafo não me causasse uma sensação curiosa: se o que ele escreve for verdade, eu não estudei no Brasil.

Fiquei tão perplexo que resolvi ver do que se tratava.

Reproduzo o trecho que causou meu espanto: “Que nossas escolas, tanto públicas quanto particulares, foram há muito invadidas por pregação ideológica, quase sempre de viés filossocialista, não deveria ser novidade…

Ver o post original 977 mais palavras