O projeto de barbárie no Brasil: Militares podem ganhar licença para matar em caso de protesto

bloglimpinhoecheiroso

Fuzileiros navais participam de operação na favela Kelson’s, zona norte do Rio, em 20/2/18. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil.

Joaquim de Carvalho, via DCM em 21/11/2019

Dois episódios hoje [21/11] dão conta do projeto de barbárie em curso no Brasil. Na Folha de S. Paulo, a economista-chefe da Agência de ARX, Solange Srou, escreveu que quem ganha salário mínimo no Brasil não é pobre.

Se não é pobre, seria de classe média? Se é, qual a diferença salarial dela em relação a quem ganha menos de R$998,00 por mês.

Solange, que seguramente não ganha menos de R$50 mil por mês, viveria com um salário 50 vezes menor? Afinal, ela também é classe média

Ambos não seriam pobres.

Outro episódio que revela a barbárie é da lavra de Jair Bolsonaro. Ele anunciou um projeto de lei que amplia o conceito de excludente de ilicitude, para garantir a impunidade a policiais e militares…

Ver o post original 866 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s