Golpe de 2016 também quebrou as prefeituras

Blog do Renato

O caos econômico provocado por forças políticas interessadas em criar um clima de “quanto pior melhor” para permitir a derrubada de Dilma Rousseff acabou vitimando também as finanças municipais. Várias cidades se encontram em colapso fiscal, ou já estão muito próximas disso. A crise atingiu sobretudo os prefeitos de médias e grandes cidades que assumem o mandato neste domingo. A falta de recursos em “caixa” é problema de quase metade dos prefeitos em todo o país: 47,3% deixarão restos a pagar para seus sucessores; das prefeituras, 15% relataram que vão atrasar o pagamento do salário de dezembro. Crise é agravada pela falta de recursos federais para custear programas sociais.

As informações são do Valor.

Em Porto Alegre, a falta de recursos transformou-se em uma briga entre o atual prefeito, José Fortunati (PDT), e seu sucessor, Nelson Marchezan Jr (PSDB), em torno do IPTU. Com dificuldades para pagar a folha, Fortunati…

Ver o post original 304 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s